Direto do Forno · Música

O novo do Kev Brown: “.”

Fazem exatas duas semanas que falei sobre o produtor e rapper norte-americano Kev Brown pela primeira vez aqui no blog. O havia conhecido há poucos dias e “Fill In The Blank” era, até então, seu trabalho mais recente. Porém, 2019 mal deu as caras e o rapaz já lançou “.” (sim, um ponto), o sucessor do disco em questão.

O próprio artista trata seu novo LP como “untitled“, ou seja, sem título. Essa falta de um nome oficial transmite a ideia de um trabalho feito às pressas, e ao ouvi-lo, isso fica ainda mais claro. As dez canções que compõem “.” parecem inacabadas, como demos ainda em estado de lapidação. Nesse ponto, lembremos de “Nearly God”, disco que Tricky lançou em 1996 e que ele mesmo afirmou ser um compilado de músicas inconclusas. O resultado tanto de “.” quanto de “Nearly God” se assemelham: tal rusticidade torna-os mais orgânicos, ou seja, mais natural, sem rodeios e/ou efeitos desnecessários.

Apesar de alguns cortes vocais surgirem durante o disco, como “oh yeah, alright, you got it“, as dez faixas que compõem o novo trabalho sem nome de Kev Brown são inteiramente instrumentais. As batidas são secas e repetitivas, variando entre diversos estilos. O interessante é que toda essa salada sonora é montada em trechos curtos, pois poucas canções superam os dois minutos de duração.

Se no álbum anterior, Kev focou mais em seu talento com as rimas, aqui em “.” ele mostra todo o seu potencial criativo e inventivo como produtor. Uma boa maneia de iniciar o ano.

 

1. introduction
2. hello
3. skirmish
4. distortion of sound
5. a spectrum of tactics
6. jammin’ on the one
7. friends since the 80’s
8. boogaloo feels
9. a theme for the optimistic
10. the end credits (work)

Direto do Forno · Música

The Smashing Pumpkins – Untitled (Vídeo)

O primeiro CD dos Smashing Pumpkins que comprei foi o “Rotten Apples”, de 2001, que nada mais é do que um greatest hits que engloba todas as fases da banda até então.

“Untitled” é a única faixa inédita desse lançamento e foi a última gravada pela banda até o seu primeiro fim, lá no início dos anos 2000. Agora, quase duas décadas depois, a banda (já reformulada) libera um videoclipe para a canção, um epitáfio da fase áurea de Billy Corgan e companhia.

O vídeo nada mais é do que trechos e cortes da banda se apresentando ao vivo, bastidores de viagens e Billy gravando os vocais da faixa. O que pode ser um deleite para os fãs mais antigos são as imagens da antiga baixista, D’arcy Wretzky, que nunca mais retornou à banda.

A poucos dias do lançamento do novo disco, fica a aposta na nostalgia para atrair seus fãs.