Direto do Forno · Música

Junodream – Terrible Things That Could Happen (Single)

Por um instante, pensei ter voltado à década de noventa, no auge do rock alternativo triste e introspectivo. Mas não, era apenas o Junodream, mais uma banda que bebe dessa fonte no dias atuais, só que, ao contrário da maioria, ela sabe como usar tal referência em sua própria música.

“Terrible Things That Could Happen” é o single mais recente do quarteto londrino, que ainda não tem um disco cheio em seu catálogo. Apenas alguns singles que servem como amostras para um futuro trabalho.

No Twitter oficial da banda, temos o seguinte: “Canções agridoces para exorcizar demônios. Inspirações incluem artistas do rock do final dos anos noventa e do Trip Hop. Espalhe boas palavras”. Ao meu ver, auto-explicativo. Apenas ouça e deixe-se levar.

Direto do Forno · Música

Emancipator & 9 Theory – Chameleon (Single)

Emancipator e 9 Theory, duas figuras da música eletrônica/chillout/downtempo/trip hop norte-americana se juntaram para a criação de Cheeba Gold, um EP colaborativo .

Para anunciar o novo trabalho, o calmo single “Chameleon” já está disponível para audição e é, no mínimo, interessante.

Na minha opinião, o Trip Hop em seus primórdios (Massive Attack, Tricky, Portishead, Morcheeba, …) é o gênero musical mais criativo que surgiu nos últimos trinta anos. Era visceral, melancólico e sombrio. Mas o tempo foi passando e o próprio estilo foi evoluindo, se adaptando ao mundo moderno, com artistas trazendo cada vez mais inovações para a sua própria música.

O single do Emancipator com o 9 Theory tem um pouco disso. Ele possui, mesmo que de forma moderada, a sensualidade do Trip Hop, mas com uma melodia um pouco mais alegre e preguiçosa, batidas acompanhadas por arpejos acústicos e colagens vocais misteriosas.

Cheeba Gold sai do forno daqui uns dias, em 22 de março.

Garimpo · Música

Garimpo: Massive Attack na MTV

Com mais de trinta anos de carreira e uma criatividade única, o Massive Attack é um dos conjuntos mais interessantes que surgiram na década de noventa. Misturando vários estilos diferentes e criando uma sonoridade inédita para a época, Robert Del Naja, Daddy G, Andrew “Mushroom” (que já saiu do grupo) e suas inúmeras parcerias atraíram atenção de milhares de pessoas ao redor do planeta.

No Youtube, o canal MASSIVETTACK.IE é um prato cheio para os fãs do conjunto britânico. O vasto acervo conta com apresentações ao vivo, entrevistas e vídeos dos mais diversos tipos sobre os pioneiros do estilo conhecido como Trip Hop.

A boa alma por trás desse projeto reuniu em um único vídeo CINCO apresentações do grupo na MTV europeia durante a década de noventa. A performance de “Karmacoma” é datada de 1996, enquanto as outras quatro canções (“Safe From Harm”, “Teardrop”, “Mezzanine” e “Inertia Creeps”) foram tocadas em 1998, época em que o grupo divulgava o disco Mezzanine, do mesmo ano.

Muitos fãs destacam a faixa “Teardrop”, devido à áurea angelical de Elizabeth Fraser. Mas, para mim, é a obscuridade de “Inertia Creeps” o ponto alto dessa coleção.

Direto do Forno · Música

Black Taffy – Geraldine/Lantern Flies In Mist (Singles)

Um álbum começa pela capa. Para mim, ela comunica muito com o ouvinte sobre o que ele pode encontrar ao iniciar a sua audição. Sim, algumas são ridículas, outras não são feitas para serem levadas a sério, mas as julgo como parte importante dessa composição que forma um disco.

Em “Elder Mantis”, a estréia de Black Taffy, a arte gráfica comunica-se diretamente com a sua música. As batidas obscuras dos dois singles já lançados, “Geraldine” e “Lantern Flies In Mist”, são tão melancolicamente belas quanto o enigmático pano negro que faz fundo para colagens foscas de objetos que remetem, mesmo que em partes, à estética noir da primeira metade do século XX.

A obra completa tem sua distribuição pela Leaving Records e chega às lojas em 15 de fevereiro, seja em formato físico ou digital.

Música

Heart-Shaped Tracks – A Soulful Tribute to Nirvana’s In Utero

Por minhas leituras diárias no blog do Marcelo Costa, o Scream & Yell, me deparei com um disco-tributo diferente do que estou habituado a ver por aí. O nome do trabalho é “A Soulful Tribute to Nirvana’s In Utero” e traz versões das músicas nos mais diversos estilos, passeando pelo soul, jazz, R&B e chegando até o trip hop.

Na primeira audição, fiquei bem surpreso. O início de “Serve the Servants” já clareou minha mente para o que estava por vir. Com certeza, seria algo bem fora da minha zona de conforto, afinal, sou admirador confesso e profundo do disco, e precisava expandir minhas ideias para compreender essas releituras. Porém, à medida que o disco seguia, ficava mais fácil separar a surpresa/espanto inicial pela compreensão e admiração pelo “novo”. As letras permaneceram, mas se tornaram músicas bem diferentes.

Confesso que algumas não me cativaram nem um pouco, caso de “Dumb” e “Radio Friendly Unit Shifter”, porém, o desagrado é mínimo perante o resultado das versões de “Francis Farmer…”, “Serve The Servants” e “Milk It”, por exemplo, os pontos altos do tributo e que ficaram muito boas em suas novas interpretações. “All Apologies” ganhou um tempero ainda mais dramático do que a original, mais lenta e melancólica, finalizando de forma positiva o disco.

Deixei aqui as minhas impressões, porém, seria interessante ao leitor dar uma olhada na matéria principal, o chamado “faixa a faixa”, detalhando e dissecando música por música, além de um texto introdutório bem esclarecedor sobre o projeto. O link está aqui.