Garimpo · Música

Garimpo: 2 Covers do Radiohead por John Frusciante

John Frusciante sofre de um sério problema chamado fãs xiitas. Sim, aqueles que endeusam seus artistas preferidos, tratam tudo que eles fazem como algo genial, acima da média e que jamais aceitam críticas sobre o endeusado.

Desconsiderando isso, é inegável que o cara é talentoso e possui uma discografia solo muito rica, principalmente os discos “To Record Only Water For Ten Days” (2001) e “Shadows Collide With People” (2004), que trazem o ex-guitarrista dos Chili Peppers em uma fase menos experimental, com canções mais fáceis de serem digeridas pelo grande público.

Creio que seja do período entre esses dois discos os dois vídeos abaixo. Munido apenas por um violão, impressiona a emoção que Frusciante insere nas suas versões de “Lucky” e “You And Whose Army?”, duas das melhores canções presentes na extensa discografia do Radiohead.

Experimente e tente não se emocionar.

Garimpo · Música

Garimpo: Grandpaboy EP

Em 1997, Paul Westerberg (The Replacements), já em carreira solo, assumiu a alcunha de Grandpaboy e lançou um EP auto-intitulado com cinco faixas. Seria o primeiro trabalho de três que ele lançaria no total sob esse pseudônimo.

Segundo o site do artista, foi um projeto que também envolveu artes visuais, como pinturas e quadros, visando explorar suas idéias em novos ambientes.

Musicalmente, o disco se mantém “pra cima” nas três primeiras faixas, mostrando-se bastante influenciado pelo rock ‘n’ roll dos anos 50 e 60, com faixas bem dançantes e instrumentos de sopro ao fundo. Em “Lush And Green”, a agitação dá lugar à melancolia, com uma bela canção acústica lo-fi, mas logo a empolgação volta em “Homelessexual”, que encerra os poucos mais de doze minutos do álbum com uma guitarra rasgada e bateria imparável.

Ouça o EP completo abaixo.

Garimpo · Música

Garimpo: Anemone – The Brian Jonestown Massacre

Talvez a música mais conhecida do Brian Jonestown Massacre, “Anemone” é uma visita à psicodelia sessentista, cumprindo bem o seu papel. Não por acaso, está presente no disco “Their Satanic Majesties’ Second Request” (1996), referência clara ao controverso e bom disco dos Stones, lançado em 1967 e muito viajado.

A voz preguiçosa de Anton Newcombe dá todo o charme da canção, e a letra, apesar de ser meio “bobinha”, não deixa de ser interessante.

Confira abaixo a versão de estúdio e uma ao vivo para o canal Cardinal Sessions.

Garimpo · Música

Garimpo: Alice Coltrane – Turiya And Ramakrishna

“Se o céu existir, essa é a trilha sonora.”

Esse foi o comentário que deixei no vídeo/áudio de “Turiya and Ramakrishna”, canção de Alice Coltrane, presente em seu terceiro disco, “Ptah, the El Daoud”, lançado em 1970.

Não conheço nada mais do trabalho da artista além dessa canção, porém, já é o suficiente para que eu a respeite. São pouco mais de oito minutos de puro transe e tranquilidade, com um piano incansável acompanhado por vários instrumentos, cada qual com sua particularidade e responsabilidade durante a música.

Daquelas para se ouvir num fim de tarde, contemplando a despedida do sol e pensando o quão magnífico somos e que, a certo modo, tudo se resolverá.

Garimpo · Música

Garimpo: Mais um aniversário

“Passeando” pelo Instagram, vi um post do Mr. Tom Morello sobre o aniversário de lançamento de “Out of Exile”, segundo disco de estúdio do Audioslave. Trabalho esse que possui canções icônicas da banda, como ‘Be Yourself” e a minha favorita de todas, “Doesn’t Remind Me”.

Particularmente, depois da super estréia com o disco auto-intitulado, em 2002, eles jamais alcançaram o mesmo nível de criatividade. Porém, é importante ressaltar como essa junção de 4 artistas de peso resultou em uma das bandas mais interessantes deste século.

De lá para cá, muita coisa mudou. Tom Morello agora é membro da banda Prophets of Rage, junto com Tim Commerford e Brad Wilk, respectivamente, baixista e baterista do Audioslave. E Chris Cornell… Bem, todos sabemos que fim trágico o cantor levou.

Porém, não é hora para lamentações. Não mais. Hoje é dia apenas de celebrar o aniversário desse bom trabalho.

Garimpo · Música

Garimpo: 29 anos de “Doolittle”

Coincidência ou não, a seção Indico de hoje é novamente para comemorar o aniversário de mais um clássico dos Pixies. Se há quase 1 mês atrás comemoramos os 30 anos do “Surfer Rosa”, hoje, dia 17 de abril de 2018, seu sucessor “Doolittle” comemora 29 anos de lançamento.

Mantendo a mesma ideia surrealista do “Surfer Rosa”, porém, com uma sonoridade um pouco mais acessível ao grande público, “Doolittle” foi um passo adiante dado pelo Pixies para que eles atingissem o posto de banda referência à geração do final dos anos 80/início dos anos 90.

Do início arrasador com “Debaser” e “Tame”, passando pelas queridinhas “Here Comes Your Man” e “La La Love You”, a viagem sonora em “No. 13 Baby” e o final estrondoso de “Gouge Away”, não é por acaso que o álbum está sempre nas listas de mais importantes de todos os tempos.

Na minha opinião, eles ainda conseguiriam ir mais além com “Bossanova”, em 1990, mas isso é assunto para outro aniversário.

Garimpo · Música

Garimpo: 30 anos de “Surfer Rosa”

A seção Indico (ex Assessoria Musical) de hoje é em homenagem a um dos grandes clássicos lançados nos últimos anos. “Surfer Rosa”, primeiro disco dos Pixies (se não considerarmos o EP “Come On Pilgrim”) completa 30 anos hoje. Abriu portas e influenciou uma penca de artistas, inclusive Kurt Cobain (“Surfer Rosa” está até presente naquela lista que cito no texto “Os Covers do Nirvana“).

O Pixies, que voltou a lançar discos recentemente, não possui mais a mesma relevância que tinha no seu auge, mas ainda é interessante acompanhar o trabalho deles.