Direto do Forno · Música

Jeremy Walch – Jolly Birds (Single)

Músicas como “Jolly Birds” fazem do selo belga Luik Records um dos mais legais que conheci desde que iniciei o Numa Sexta.

Jeremy Walch é mais uma das figuras que movimentam as atividades da gravadora e tem um álbum saindo do forno dia 19 do próximo mês, intitulado Scarlet.

Levada por guitarras levemente psicodélicas, a melodia pop agradável e dançante do single “Jolly Birds contagia o ouvinte. E como o próprio artista afirma, é tudo feito em casa.

Direto do Forno · Música

O novo do Lenny Pistol: Pistil Boy EP

Melodias tímidas, agradáveis, baixa fidelidade no som e muita melancolia. Assim é a estreia de Lenny Pistol com seu “Pistil Boy EP”, que chega hoje, primeiro de fevereiro, pelo selo belga Luik Records.

São várias as influências. Do rap lo-fi na faixa-título e inicial, “Pistil Boy” e em “Ashamed”, à inclusão de algumas guitarras (dessas que os indies dos século XXI gostam tanto), até o folk em “Despise”, single que fora comentado antes aqui no blog e que é o ponto alto do EP.

Apesar de curto no quesito tempo, “Pistil Boy EP” é rico em sonoridade, por mostrar a destreza do artista em navegar em vários estilos diferentes, sem soar repetitivo ou cópia de alguém. Não é algo que irá mudar o mundo, mas é um bom cartão de visitas.

1. Pistil Boy
2. Ashamed
3. Cold Walls
4. Despise
5. Liquor Shop
6. Miles Away
7. Heading For Your Mind

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – The Rally Boys (Single)

Chego a soar repetitivo, mas a fórmula do novo single do Guided By Voices é a mesma. A canção mal começa e as guitarras já estão correndo, com Pollard soltando os seus versos com a voz enérgica, apesar de já mostrar o seu envelhecimento. A duração segue o padrão: menos de dois minutos.

Quando o ouvinte pensa que virá uma segunda parte, uma estrofe a mais ou até um solo, ela é encerrada. Assim, direto ao ponto, é “The Rally Boys”, mais um anúncio de “Zeppelin Over China”, o disco completo que chega no início de fevereiro.

Direto do Forno · Música

+2 EP’s do Guided By Voices

Falei aqui sobre a curiosa produção de “Warp and Woof”, disco do Guided By Voices que dará as caras em abril do próximo ano.

Para adiantar parte desse LP (e aumentando ainda mais a curiosidade dos fãs), Robert Pollard soltou os EP’s “100 Dougs” e “Wine Cork Stonehenge”, ambos no dia 7 desse mês. Os dois trabalhos possuem seis canções cada, e todas elas farão parte de “Warp and Woof”.

O Guided By Voices vem fazendo o mesmo tipo de som há mais de três décadas, mas com a destreza de poucos. Por isso, eles nunca soam enjoativos ou repetitivos. É o encontro perfeito entre o lo-fi com o pop: canções curtas, produção baixa e bastante energia.

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – My Future In Barcelona (Single)

Quase todo lançamento do Guided By Voices me impressiona. Provavelmente, a nova canção ou disco seguirá na mesma linha dos anteriores, mas a empolgação de Robert Pollard, que mantém o grupo vivo depois de várias décadas, é contagiante. Sem falar na sua (aparente) interminável criatividade, afinal, não é todo artista que chega a lançar até 3 discos por ano (ou  mais!).

‘My Future In Barcelona” é o novo single de “Zeppelin Over China”, disco que chega às lojas em primeiro de fevereiro do ano que vem. A sonoridade segue o padrão da banda: um rock’n’roll de baixa produção, com bastante guitarra ao fundo e um quê pop marcante.

Vale lembrar que o conjunto acabou de lançar dois EP’s na última semana, que adiantam um disco posterior ao que acabo de falar sobre. “Warp and Woof” ganhará vida em abril de 2019. Leia aqui um curioso fato sobre esse lançamento.

O single título desse texto você confere abaixo, via Youtube ou Bandcamp, qual o leitor preferir. Sobre os dois EP’s, escreverei sobre eles logo.

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – Cohesive Scoops

Imagino que Robert Pollard deva ser o mais incansável cantor e compositor que já pisou nesse planeta. Seja com o Guided By Voices, seu principal trabalho, seja com os trabalhos paralelos, o cara não para nunca. Todo ano recebemos uma enxurrada de lançamentos de sua autoria.

“Cohesive Scoops”, o single mais recente, tem uma história interessante: estará presente no vinil de sete polegadas “100 Dougs”, com lançamento para dezembro desse ano, e no disco “Warp And Woof”, que chegará às lojas em abril de 2019.

O curioso nesse meio é que a banda já havia anunciado um disco duplo para fevereiro do ano que vem, intitulado “Zeppelin Over China”, e Pollard gravou por completo “Warp And Woof” durante as pausas das gravações. No total (considerando somente o “disco paralelo”), serão 24 canções que duram pouco mais do que 37 minutos. Acho que só Omar Rodriguez-Lopez conseguiria tal façanha.

Sobre a canção em destaque, um pop lo-fi perfeito que dura 91 segundos. Rápido e certeiro, como já ouvimos há duas décadas nos clássicos “Bee Thousand” (1994) e “Alien Lanes” (1995).

Robert Pollard merecia uma estátua pela sua contribuição à arte.

Direto do Forno · Música

O novo do Will Oldham: Songs of Love and Horror

A melancolia é o carro-chefe de “Songs of Love and Horror”, disco em que o cantor e compositor Will Oldham deixa de lado seu alter-ego Bonnie ‘Prince’ Billy e assina como si mesmo as doze belas e delicadas canções.

Conduzido por completo por apenas voz e violão, “Songs of Love and Horror” é uma visita do artista por canções de sua discografia, seja como Bonnie ‘Prince Billy’ ou Palace Music, adotando uma estética mais intimista e caseira. Em alguns momentos, a carga emocional é tão forte que incomoda, no bom sentido, o ouvinte, mostrando o quão pesados são os versos presentes no disco, bem como a voz de Oldham.

Assumir um trabalho assim sem um personagem por trás é um ato de coragem por parte do cantor, e uma forma de expurgar as suas emoções como um vento forte varrendo as impurezas de seu interior.

Ótimo para ouvir com um vinho ao lado.

1. I See a Darkness
2. Ohio River Boat Song
3. So Far and Here We Are
4. The Way
5. Wai
6. The Glory Goes
7. Only Someone Running
8. Big Friday
9. Most People
10. Strange Affair
11. New Partner
12. Party with Marty (Abstract Blues)

 

Garimpo · Música

Garimpo: Grandpaboy EP

Em 1997, Paul Westerberg (The Replacements), já em carreira solo, assumiu a alcunha de Grandpaboy e lançou um EP auto-intitulado com cinco faixas. Seria o primeiro trabalho de três que ele lançaria no total sob esse pseudônimo.

Segundo o site do artista, foi um projeto que também envolveu artes visuais, como pinturas e quadros, visando explorar suas idéias em novos ambientes.

Musicalmente, o disco se mantém “pra cima” nas três primeiras faixas, mostrando-se bastante influenciado pelo rock ‘n’ roll dos anos 50 e 60, com faixas bem dançantes e instrumentos de sopro ao fundo. Em “Lush And Green”, a agitação dá lugar à melancolia, com uma bela canção acústica lo-fi, mas logo a empolgação volta em “Homelessexual”, que encerra os poucos mais de doze minutos do álbum com uma guitarra rasgada e bateria imparável.

Ouça o EP completo abaixo.

Garimpo · Música

Garimpo #07 – Guided By Voices

“Bela Sky, não se preocupe,
Já há quem ocupe o meu coração.
Mas prometo que guardarei
Um dos meus cacos para lhe abrigar.

Me desculpe pelo meu jeito,
Mas sou bom sujeito, sou sangue e fervor.
Camuflo minha mocidade, e em minha liberdade
Não tenho pudor.

Faça de mim seu castigo
Não ouça o que eu digo, mas faça um favor:
Me abrigue em sua morada,
Fique calada e me encha de amor.

*Mais um poema experimental baseado na melodia de uma canção. Dessa vez, “Mincer Ray” do Guided By Voices foi a escolhida. Uma das minhas maiores referências artísticas. Por favor, leita no ritmo da canção.