Direto do Forno · Música

Mais Alguns Singles

Mudando um pouco o formato para sair da mesmice, deixo abaixo alguns singles recentes que valem a pena o leitor conferir.

O Ruby Haunt, que já falei sobre aqui no blog algumas vezes, está com um disco saindo do forno e há alguns dias soltou o terceiro single desse projeto, “Curtain Call”. A canção segue a mesma ambientação nostálgica e melancólica das anteriores, do jeito que eu gosto.

Também com um terceiro single disponível, a parceria entre Mike Patton e Jean-Claude Vannier tem o suficiente para ser um dos trabalhos mais interessantes do ano. Versáteis e altamente criativos, a peça da vez é “Browning”. O álbum completo será lançado no dia 13 do próximo mês.

Por último, uma banda que ganhou status de cult nos últimos anos aqui na internet, a Cigarettes After Sex pode soar bem deprê no começo da audição, mas aos poucos o clima de intensa tristeza é absorvido e torna-se apreço. Etérea, calma e bem produzido, o som da banda remete ao Ruby Haunt, o que é um baita de um elogio.

“Heavenly” é a primeira amostra de Cry, o próximo trabalho do conjunto e que ganhará vida em 25 de outubro.

 

Há quem diga que não se fazem mais músicas boas como antigamente. Eu digo que é preguiça de procurar.

Direto do Forno · Música

Spotlights – Mountains Are Forever (Vídeo)

Em abril deste ano, o Spotlights lançou o excelente Love & Decay, seu mais recente disco de estúdio, pela Ipecac Recordings.

Há duas semanas, o trio lançou um videoclipe para uma das canções do álbum, “Moutains Are Forever”.

Com cores relativamente gélidas, o vídeo capta alguns movimentos aleatórios entre paisagens naturais e figuras esfumaçadas, dando um tom sombrio ao trabalho.

Escrevi aqui minhas impressões sobre Love & Decay.

Direto do Forno · Música

O Novo do Spotlights: Love & Decay

Junte a arte visual com o som da banda e a sensação é de navegar entre uma chuva de meteoros em pleno espaço sideral. Assim é Love & Decay, novo trabalho do Spotlights que chegou à Terra em 26 de abril desse ano pela Ipecac Recordings, gravadora do Mr. Mike Patton.

Mesmo que seja possível perceber as mais diversas influências no disco, como o shoegaze, o post-rock, o space rock, o stoner metal e até o doom metal, a predominância característica e que fica marcada é o peso. Em resumo, é um disco muito pesado, e devido às variedades que o compõem, torna-se, também, um trabalho emotivo.

Boa parte das canções tem a mesma proposta, iniciando com muita força e, em seguida, deixando a experimentação tomar conta, transformando a carga cheia em um espaço de flutuação.

“Far From Falling”, com mais de sete minutos, engata uma viagem espacial a partir de sua metade, com riffs repetitivos, guitarras solando ao fundo e a bateria constante que parece explodir a qualquer momento. E explode, quando a distorção engrandece e eleva ainda mais o estado psicodélico-espacial da canção.

Outros pontos altos do disco são os dois singles lançados anteriormente, “The Particle Noise” e “The Age of Decay”, que mesclam momentos sutis e hipnóticos com agressividade.  “Xerox”, a mais curta do álbum e cujo videoclipe você confere abaixo, destoa um pouco das demais, pois mantém a intensidade do começo ao fim. “The Beauty of Forgetting”, com quase onze minutos, finaliza com maestria e causa certa perplexidade, daquelas em que a pessoa fica estática, olhando para o nada, absorvendo tudo o que ouviu.

As edições em CD e vinil ainda contam com uma faixa extra, chamada “Sleepwalker”.

Tendo em vista tamanha riqueza de influências e detalhes de Love & Decay, saber que tudo isso é feito por um power trio catapulta ainda mais seu brilhantismo. Nada é feito com preenchimentos chatos ou megalomaníacos. A mistura entre o peso e a emoção podem atingir até ouvintes não-habituados com o estilo, apesar de que, à primeira audição, pode causar estranhamento.

Para fãs desse tipo de som, como eu, é um prato cheio.

1. Continue The Capsize
2. The Particle Noise
3. Far From Falling
4. Until The Bleeding Stops
5. Xerox
6. The Age of Decay
7. Mountains Are Forever
8. The Beauty of Forgetting

Direto do Forno · Música

Mike Patton & Jean-Claude Vannier – On Top Of The World (Single)

Mike Patton, o homem das mil vozes e dos mil projetos, está com mais uma parceria engatilhada para sair do forno da Ipecac Recordings, sua gravadora, ainda esse ano. Trata-se de Jean-Claude Vannier, colaborador de longa data de Serge Gainsbourg, ícone da música francesa.

Conforme release oficial, a dupla se conheceu em 2011 e a admiração foi instantânea, porém, o trabalho em conjunto só saiu do papel recentemente.

O disco se chamará Corpse Flower e contará com doze músicas. “On Top Of The World” foi a escolhida para anunciar o álbum, que chega por completo dia 13 de setembro.

Com uma atmosfera que lembra bastante o clássico Histoire de Melody Nelson (1971) de Serge Gainsbourg, a canção é sombria e sensual.

 

Direto do Forno · Música

Dub Trio – Fought The Line (feat. Troy Sanders)

Troy Sanders, baixista e vocalista do Mastodon, é mais um artista de peso que estará em The Shape of Dub, novo disco do Dub Trio (leia mais aqui).

Em “Fought The Line”, o segundo single do novo trabalho, ele empresta sua voz em uma canção cujo videoclipe possui ares assombrosos. Gravado inteiro em preto e branco, os cenários alternam entre a banda executando a faixa e Troy soltando os versos em uma floresta macabra, que ainda conta com a presença de uma garotinha e um capiroto bem assustador.

O som é pesado e lento, assimilando-se ao clima do vídeo.

Direto do Forno · Música

Dub Trio – World Of Inconvenience (feat. King Buzzo)

Joga no liquidificador a salada sonora que o Dub Trio faz e adiciona um ingrediente de peso (literalmente): King Buzzo, do Melvins. O resultado é “World of Inconvenience”, single do próximo disco do trio dub-eletro-punk-metal que se chamará The Shape of Dub, com lançamento marcado para 26 de abril deste ano.

Na maior parte do tempo, a canção caminha pela sonoridade do Melvins, com riffs de guitarra e baixo poderosos e a bateria arrasando ao fundo. Em certos momentos, surge uma quebra no ritmo para uma ambientação mais soturna e atmosférica, e é aí que percebe-se as características do trio.

Levando em consideração que a maior parte do trabalho do Dub Trio é instrumental, a participação de King Buzzo tende a ser a melhor parte desse misterioso novo álbum.

Direto do Forno · Música

Spotlights – The Age of Decay (Single)

Confesso que não estava com a audição preparada quando apertei o play para “The Age of Decay”, novo single do Spotlights. A avalanche sonora que atingiu os meus tímpanos foi de uma força avassaladora, algo muito surpreendente para um power trio.

O Spotlights é um conjunto norte-americano que integra o catálogo da Ipecac Recordings, gravadora fundada pelo Mr. Mike Patton, uma das mais interessantes da atualidade. A banda é composta por Sarah Quinteto (vocais e baixo), Mario Quintero (guitarra, vocais e sintetizadores) e Chris Enriquez (bateria).

O disco “Love & Decay” chega por completo em 26 de abril desse ano, e somente a canção citada acima está disponível de forma oficial até o momento. Sobre ela, é um estrondo de cordas, sintetizadores e bateria que seguem a fórmula de calmaria/tempestade, alternando entre melodias mais suaves até os riffs mais pesados entrarem em cena.

Odeio escrever com exageros, mas o impacto de “The Age of Decay” foi muito forte em mim. Eu realmente adorei a canção.