Língua Presa · Não Ao Futebol Moderno

Não Ao Futebol Moderno #07: Já Fomos Rebaixados

Triste acontecimento no Mineirão ontem.

Se não bastasse a terrível partida que Atlético e cruzeiro protagonizaram no campo, um imbecil da torcida atleticana insultou um dos seguranças do estádio com termos racistas. O pior de tudo é que no Brasil sil sil da impunidade, nada acontecerá à esse idiota.

Esse é o país em que vivemos hoje. Ninguém liga mais para porra nenhuma. Disparam as metralhadores de xingamentos (quando não são as de balas mesmo) e não estão nem aí para o próximo. E o mais nojento de tudo é que esses são que se auto-intitulam “cidadãos de bem”.

Se há cinco/seis anos, a dupla mineira podia se vangloriar de dominar o cenário nacional e internacional do futebol local, hoje, à duras penas, se esforçam para não caírem para a segunda divisão.

Porém, no quesito humanidade, o Brasil caiu há tempos.

Direto do Forno · Música

Jair Naves – Veemente (Single)

Jair Naves é um dos artistas dessa “atual geração” que mais admiro, principalmente seus trabalhos em carreira solo. Letrista de primeira e dono de uma voz pouco usual, sabe como poucos usar as palavras para traduzir o que muitos de nós, meros mortais, sentimos.

Nesse atual cenário político em que vivemos (e que está longe de acabar, por sinal), ele observa e descreve com maestria o que tem acontecido nas relações humanas, principalmente as que envolvem diferenças de opinião: a intolerância, o uso da religião como verdade absoluta, a alienação, a troca do diálogo pela violência, a mentira como informação, enfim, segue-se ladeira abaixo. E isso vale para os dois lados (óbvios) da moeda.

No dicionário, “Veemente” é explicado como algo enérgico, poderoso, intenso.

“Veemente”, de Jair Naves, nada mais é que um soco no estômago da sociedade brasileira.