Direto do Forno · Música

Cub Scout Bowling Pins – Heaven Beats Iowa (Single)

Duvido que exista alguém tão prolífico em questões artísticas quando Robert Pollard. Não bastasse os vários discos que ele lançou com o Guided By Voices em 2020, o cara também já anunciou mais um projeto paralelo e também soltou o primeiro single dessa empreitada: conheça o Cub Scout Bowling Pins com a canção “Heaven Beats Iowa”, que também levará o nome do primeiro EP do projeto.

Soa como Guided By Voices? Soa. É algo inovador? Não. Mas não importa, é muito bom ver esse camarada na ativa após décadas de carreira e ainda parecendo uma fábrica de canções.

O Cub Scout Bowling Pins lançará seu primeiro EP em 22 de janeiro desse ano.

Direto do Forno · Música

Yungatita – Sigh Guy (Single)

Um ano após lançar Over You, seu EP de estreia, a Yungatita retorna com “Sigh Guy”, single que deve adiantar seu próximo trabalho.

“Sigh Guy” tem um quê anos oitenta meio blasé, com uma guitarrinha funkeada que proporciona uma viagem sonora gostosa. Preguiçosa, mas gostosa. Lembra bastante o CASTLEBEAT.

Aliás, é da Yungatita uma das músicas que mais ouvi no ano passado: “7 Weeks & 3 Days”.

Tá aí mais uma artista que é bom ficar de olho nos próximos anos.

Direto do Forno · Música

Shaylee – Audrey/Walking at the Ball (Singles)

Meu primeiro contato com o trabalho da Shaylee foi nesse cover de “Alphabet Town”, do Elliott Smith, que foi lançado em comemoração do aniversário póstumo do cara.

Ao final do mês passado, a artista lançou mais um compacto pela Kill Rock Stars com dois singles, “Audrey” e “Walking at the Ball”, ambas canções sobre pessoas trans que já deixaram esse planeta. É bom dizer que o compacto saiu justo na data de comemoração do Dia Internacional da Memória Transgênera.

As duas canções possuem uma forte carga emocional, mas “Audrey” é de um nível muito acima da média. Já perdi as contas de quantas vezes essa música tocou aqui nos últimos dias.

Informações mais detalhadas sobre as histórias por trás das duas músicas estão no Bandcamp dela.

Língua Presa · Música · Traduções

Amity

(Tradução livre de um trecho do texto “Song of the Day #1,885: ‘Amity’ – Elliott Smith“.)

Elliott: É uma canção realmente desprotegida – Escrevi a letra em alguns minutos e não a mudei. Gosto de como ela soa, embora não seja uma canção especialmente profunda.

Repórter: Não, de jeito nenhum, eu amo a sensação dela. Estava a dançando em meu porão como Uma Thurman em “Pulp Fiction”.

Elliott: (risos) É que, não sei… Apenas uma grande canção de rock. É bem simples. Não é tanto sobre as palavras em si, mas mais como a coisa toda soa. Alguns amigos disseram que ela parece uma tentativa de conseguir algo romântico com alguém, e não era essa a intenção. Era para ser “você é realmente uma ótima companhia e gosto muito de você por isso, mas estou muito, muito deprimido”, mas não sei se ela parece com isso. Quando digo “pronto para ir”, era para indicar que estava cansado de viver.

Repórter: An? Tipo, pronto para ir embora desse mundo?

Elliott: É, desculpe por tornar a música triste para você agora. (Ambos riem)

Repórter: Tudo bem, vou continuar ouvindo. Eu também pensei que existiam elementos românticos nessa música. Fiquei pensando se a palavra “amity” era uma brincadeira com a palavra francesa “amite” (amizade).

Elliott: Na verdade, é uma pessoa que conheço.

Repórter: Minha parte favorita é quando você canta “’cause you laugh and talk/and ’cause you make my world rock!” (porque você ri e conversa/e faz eu me sentir muito bem). É uma quebra no estilo que você costuma escrever. Gostei do aspecto despreocupado disso. Lembro de pensar em como a maioria dos compositores não usariam essas palavras e as descartariam. Se mais alguém escrevesse aquilo, eu teria pensado “que babaca!”.

Elliott: Sim. (risos) É isso.

Repórter: Mas você é inteligente e suas letras são tão boas, que senti que você foi se soltando de propósito e se divertindo com a canção.

Elliott: Foi bem simples. Eu estava dizendo “realmente gosto de você e é muito bom sair com alguém que é feliz e fácil de lidar, mas eu não me sinto assim e não posso ficar com você.”

Direto do Forno · Garimpo · Música

Garimpo: Angel Olsen – Whole New Mess

Gravado no final de 2018 no corredor de uma capela, para que a voz ganhasse efeitos mais naturais, Whole New Mess é o quinto disco da Angel Olsen, lançado pela Jagjaguwar no dia 28 de agosto. Ele é traz as canções do disco anterior, o elogiado All Mirrors, de 2019, mas em um formato mais intimista.

As músicas foram escritas em um período difícil para a artista, onde ela passava por um término de relacionamento. Por isso a roupagem delicada e melancólica, mas sem parecer meloso.

Em certos momentos, Whole New Mess lembrou o Nebraska (1982), do Bruce Springsteen, devido à abordagem simples e crua das canções.

É um disco que tenho ouvido do início ao fim por várias vezes durante o dia e sem enjoar.

Direto do Forno · Música

CASTLEBEAT – TI​-​83 (Single)

CASTLEBEAT é o pseudônimo usado por Josh Hwang para distribuir suas músicas internet afora, e além disso, o cara também gerencia o selo Spirit Goth, voltado para a produção de canções lo-fi com as mais variadas influências.

A mais recente obra de sua discografia é a canção “TI-83”, disponibilizada como single no início desse mês. Misturando elementos do lo-fi hip hop, chillout e até o shoegaze, com a voz calma e quase sussurrada envolta em texturas sonoras e batidas repetitivas, é daquelas canções que caem muito bem numa madrugada solitária e melancólica.

Outra música do projeto que recomendo sempre que posso é “80’s High School”, lançada em janeiro desse ano e que aparece bastante em minhas audições diárias. Você a encontra na página do Bandcamp do CASTLEBEAT ou no Youtube.

Direto do Forno · Música

Rapidinha

Isso que dá procrastinar o dia todo e adiar textos que estão abertos há dias como rascunho. O Ruby Haunt soltou mais um single hoje, o segundo do Tiebraker, o próximo disco deles. Fiquei sabendo poucas horas após escrever sobre “Avalon”, o primeiro single do álbum, e que é o meu texto mais recente.

Sem mais delongas, fica aqui para você ouvir “Carrie” logo abaixo, tão bela quanto “Avalon”.

 

Direto do Forno · Música

Ruby Haunt – Avalon (Single)

A melancolia é o carro-chefe na música do Ruby Haunt, mas não aquela que toca na ferida e parte o coração, mas sim a melancolia que traz saudade, que mexe na nossa nostalgia, nas lembranças de momentos felizes e tudo mais. Por isso o grupo estadunidense é um dos meus favoritos da atualidade.

Com um disco inédito saindo do forno daqui a exatas duas semanas (se chamará Tiebreaker), a banda soltou “Avalon”, seu primeiro single, há também exatas duas semanas atrás.

É uma música longa, com seis minutos e meio de duração, em formato acústico quase por completo. Somente no finalzinho dela que violão e teclados se encontram com a bateria e tudo termina bem. Uma ótima música no estilo que chamo happy-sad que nos põe para refletir e pensar na vida e nas suas adversidades.

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – Haircut Sphinx (Single)

Já vi texto de gente virando a cara, já vi gente que se empolga às alturas (faço parte desse grupo), mas fato é que a cada novo lançamento do Guided By Voices, o universo da música direciona sua atenção à gangue de Robert Pollard, ainda mais agora que os caras estão prestes a lançar o seu TRIGÉSIMO disco.

Mirrored Aztec chega no final de agosto, no dia 25, e já conta com um single disponível: “Haircut Sphinx”, um rockzinho dançante com pouco mais de dois minutos que você encontra aos montes no catálogo do grupo. Além disso, a capa do disco é uma das mais bonitas que a banda já teve.

Confira abaixo.