Direto do Forno · Música

Ruby Haunt – Avalon (Single)

A melancolia é o carro-chefe na música do Ruby Haunt, mas não aquela que toca na ferida e parte o coração, mas sim a melancolia que traz saudade, que mexe na nossa nostalgia, nas lembranças de momentos felizes e tudo mais. Por isso o grupo estadunidense é um dos meus favoritos da atualidade.

Com um disco inédito saindo do forno daqui a exatas duas semanas (se chamará Tiebreaker), a banda soltou “Avalon”, seu primeiro single, há também exatas duas semanas atrás.

É uma música longa, com seis minutos e meio de duração, em formato acústico quase por completo. Somente no finalzinho dela que violão e teclados se encontram com a bateria e tudo termina bem. Uma ótima música no estilo que chamo happy-sad que nos põe para refletir e pensar na vida e nas suas adversidades.

Direto do Forno · Música

Maya Hawke – By Myself (Single)

Uma grata surpresa nesses tempos de isolamento foi descobrir que Maya Hawke, a menina da sorveteria de Stranger Things, também é música e prepara o seu disco de estreia para 19 de junho deste ano, intitulado Blush.

A primeira fatia do seu debut, “By Myself”, foi lançada no último mês. A voz de Maya é doce e traz uma melancolia agradável, muito nessa onda happy-sad que se encaixa bem na atual cena indie.

Interessante também o fato de que a artista é filha de dois atores que eu admiro muito: Ethan Hawke e Uma Thurman. Ou seja, o talento dela vem de berço.

Direto do Forno · Garimpo · Música

Garimpo: The National – Never Tear Us Apart (INXS Cover)

Devido aos acontecimentos recentes na Austrália, uma galera boa se reuniu para gravar um tributo em prol de toda a causa. A proposta do disco Songs For Australia é que cada participante faça um cover de alguma canção australiana. A grana arrecadada será para ajudar o país a se reerguer após os desastres ambientais que comoveram o planeta.

O The National carimbou sua participação ao regravar “Never Tear Us Apart”, clássico do INXS, com uma versão happy-sad gostosa de ouvir. O disco completo sai daqui dez dias e você confere mais informações sobre ele aqui.

Diversos · Língua Presa · Música

A Música Pop Perfeita

Já faz algum tempo que gostaria de deixar essa opinião registrada em algum lugar, e como o computador é o parceiro de escrita mais próximo, não há espaço melhor do que aqui. Então, vos digo:

In Between Days, do The Cure, é a música pop perfeita.

Os três minutos cravados de duração, a melodia alegre e dançante misturada à voz dramática de Robert Smith, o refrão de fácil coro e a letra que qualquer pessoa se identifica.

É como se fosse um ponto colorido em meio à discografia preto e cinza do The Cure.

Seja numa festa de apartamento, boate, casamento, karaokê ou qualquer outro tipo de manifestação. Ninguém fica parado ao som happy-sad de In Between Days.