Direto do Forno · Música

Cosmic Cave – Ex Hex (Single)

Três mulheres. Guitarra, baixo e bateria. É assim, simples e certeiro, que a Ex Hex mantém suas atividades, agora com um novo disco chegando em março de 2019 pela Merge Records, quase cinco anos após “Rips” (2014).

“It’s Real” é o título do trabalho, e contará com dez canções. A escolhida como primeiro single, “Cosmic Cave”, é dançante, animada e imparável. São três minutos cravados do mais puro rock’n’roll de garagem.

O nome do disco deve ser uma brincadeira com o ouvinte: sim, é real o que você está ouvindo. Difícil mesmo é sair do transe causado por essa primeira e ótima fatia do álbum. Só lamento pela capa: poderia ter sido melhor. Bem melhor.

Direto do Forno · Música

Hank Wood and the Hammerheads – HEADS (Single)

Ali no título está single, mas como a própria banda o denomina, “HEADS” é um “2-Song Cassingle“, ou seja, um trabalho de duas canções que terá seu formato físico em fita cassete, resgatando o modo que ouvia-se música algumas décadas atrás.

“You Could Have It” e “I’d Rather Be With Me” são as músicas que compõem esse pequeno projeto, mas que causam um belo estrago (no bom sentido) ao ouvinte. Se juntá-las, são quase cinco minutos de porrada sonora influenciada pelo punk rock e pelo rock de garagem meio The Stooges, com guitarras cortantes e velozes e um vocal bem raivoso.

Seu lançamento foi no início do ano, em 4 de janeiro. Apenas enquanto escrevo esse texto, “HEADS” está sendo repetido pela quarta vez.

Direto do Forno · Música

The Raconteurs – Sunday Driver/Now That You’re Gone (Single)

A mídia em peso já falou sobre a volta do The Raconteurs na última semana, após um longo período em hiato. O último disco do grupo, “Consolers of the Lonely”, foi lançado em 2008.

Sempre julguei o The Raconteurs como o projeto mais acessível de Jack White, mais até do que o White Stripes. Mesclando rock de garagem com blues, o conjunto faz um som bastante acessível até para quem não se enturma muito nesse meio. Para esse retorno triunfal (bastante esperado), a banda disponibilizou duas músicas de uma só vez.

O single é formado por “Sunday Driver” no lado A e “Now That You’re Gone”, lado B. Ambas as canções ganharam videoclipes muito bem produzidos. A primeira é um rock’n’roll bem cru liderado por Jack White, recheado de guitarras bem sujas.

Já sua companheira de disco é mais voltada para o blues rock, com pitadas de R&B, e o mais interessante: Brendan Benson é o responsável pelos vocais. Apesar do tom mais lento e possuindo os teclados como carro-chefe, percebe-se ao fundo o teor garageiro nos riffs e solos distorcidos de White.

Como eu disse acima: um retorno triunfal.

Direto do Forno · Garimpo · Música

Garimpo: The Spinanes – Manos (Relançamento)

O duo The Spinanes pode até não ter estourado durante seus anos de atividade, mas ganhou um status cult que mantém viva a sua memória. Formado pela vocalista e guitarrista Rebecca Gates e pelo baterista Scott Plouf, lançou três discos pela Sub Pop nos anos noventa e só. Um deles, “Manos”, foi lançado em 1993 e até fez certo barulho nas rádios americanas e na MTV, mas nada gigante se compararmos com outras bandas da época. 25 anos depois, a Merge Records relançou o disco, remasterizado e com algumas faixas bônus.

O extingo blog Amor Louco Br (falo sobre ele aqui) também foi o responsável por me apresentar a banda, justamente com o “Manos”. Curti na primeira audição. Uma produção simples e garageira, com muita emoção por trás. É a música em seu estado mais natural. “Spitfire” e “Shellburn”, ambas com linhas de bateria muito interessantes, são as minhas favoritas até hoje. Ouça-o na íntegra abaixo.

Uma curiosidade: você pode ouvir os backing vocals de Rebecca Gates na canção “St. Ides Heaven”, de Elliott Smith.

Direto do Forno · Música

+2 do Reverend Horton Heat

O reverendo mais irreverente do rock ‘n’ roll está com um novo disco saindo do forno da Victory Records no próximo dia 30. O trabalho se chamará “Whole New Life” e é o 12º na discografia do artista.

Duas canções já foram liberadas e apresentam o melhor do rockabilly descompromissado e feito para se divertir: “Hog Tyin’ Woman” e a faixa-título. É colocar para tocar e começar a se mexer.

Garimpo · Música

Garimpo: Tonystark

Não, não estou falando do Homem-de-Ferro, mas sim de uma das bandas mais obscuras que conheço.

Lá nos anos 90, época em que o rock alternativo estourou e várias bandas decidiram sair de suas garagens, algumas deram certo, outras deram sorte, mas a maioria não chegou ao estrelato. Digo maioria porque, como é explicado no documentário “Hype!”, de 1996, graças ao sucesso do Nirvana, muita gente quis pegar carona e achou que era possível ser um rockstar. Porém, não era assim tão simples, e muitos desses garageiros caíram no limbo da música, até mesmo no underground.

O Tonystark foi uma dessas bandas que não duraram muito tempo e quase não há informações na rede. Graças ao Allmusic, que possui uma curta biografia do grupo, podemos ter uma leve noção de sua formação e por onde ele tocou.

Com um som bem cru, influenciado pelo punk e pelo rock alternativo característico dos anos 90, a banda lançou somente um EP com cinco músicas, chamado “High Tech Low Life”, em 1998.

Vale a pena dar uma conferida.