Direto do Forno · Música

Ruby Haunt – Cobweb (Single)

Dos grupos que surgiram pós-2010, poucos viraram referência em minha mente quando alguém ou eu mesmo pergunto: “qual artista/banda atual você gosta/indica?”, e o Ruby Haunt quase sempre encabeça essa lista.

Com melodias sutis, nostálgicas e delicadas, o som do duo estadunidense é como um passeio por ambientes solitários, onde o personagem recheia sua mente com pensamentos do passado ou o delírio de resgatar a alegria em sua vida monótona e sem graça.

Sei que é uma descrição um tanto quanto pessimista sobre a vida, mas é nesses momentos que a música aparece para dar um estímulo a mais em não desistir, mesmo que a própria canção seja um tanto quanto melancólica.

Hoje saiu “Cobweb”, o single mais recente do Ruby Haunt, que anuncia seu próximo trabalho, The Middle of Nowhere, para o dia 30 de agosto desse ano. Curiosamente, um dia antes do aniversário da minha mãe, que completaria 54 anos.

Deixo abaixo o player da página oficial dos caras no Bandcamp, bem como a capa do próximo disco.

 

Direto do Forno · Garimpo · Música

Garimpo: Current Affairs

A sensação é de estar num ambiente tonalizado em preto e branco, gélido e movimentado. A música é tão crua em qualquer aspecto que sentir-se só em meio à multidão não é algo incomum. As batidas secas da bateria contribuem para tal sentimento de solidão. Joan, sem sobrenome, declama seus versos com emoção, trazendo vida àquele lugar.

Música é assim, inexplicável. Certas melodias, estilos, artistas ou batidas transportam-nos a lugares que nunca vimos na vida, nem sequer sabemos se existem ou não. Esse é o exercício que ela traz à nossa imaginação, levando-nos a construir cenários e personagens que fazem sentido nem que seja somente para nós mesmos.

Esse é o caso do Current Affairs, banda escocesa de Glasgow que cria um som post-punk direto da fonte. Não é, por exemplo, o Joy Division do “Unknown Pleasures”, já ciente de como queria ser, mas aquele que ainda polia e lapidava o seu som, como no EP “An Ideal For Living”, um ano antes do seu clássico. A guitarra alterna momentos de peso com outros mais eufóricos, como se ela possuísse um aspecto cortante e elétrico, girando e dançando em volta dos seus irmãos baixo e bateria, que mantém uma linha mais direta e coesa em quase todas as canções.

Vamos aos registros oficiais: um EP de 2017, intitulado “Object”, mais dois singles, ambos datados do final do ano passado: “Cheap Cuts/Let Her” e “Breeding Feeling/Draw The Line”. Não chega a dez o número total de canções lançadas pelo conjunto. Mas a avaliar sua ainda pequena discografia, o Current Affairs possui uma riqueza musical tamanha que, ao meu ver, os torna preparados para um disco cheio e mais encorpado.

Abaixo, em ordem cronológica, o EP e os dois singles para você ouvir à vontade e de graça.

 

Direto do Forno · Música

Hank Wood and the Hammerheads – HEADS (Single)

Ali no título está single, mas como a própria banda o denomina, “HEADS” é um “2-Song Cassingle“, ou seja, um trabalho de duas canções que terá seu formato físico em fita cassete, resgatando o modo que ouvia-se música algumas décadas atrás.

“You Could Have It” e “I’d Rather Be With Me” são as músicas que compõem esse pequeno projeto, mas que causam um belo estrago (no bom sentido) ao ouvinte. Se juntá-las, são quase cinco minutos de porrada sonora influenciada pelo punk rock e pelo rock de garagem meio The Stooges, com guitarras cortantes e velozes e um vocal bem raivoso.

Seu lançamento foi no início do ano, em 4 de janeiro. Apenas enquanto escrevo esse texto, “HEADS” está sendo repetido pela quarta vez.

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – My Future In Barcelona (Single)

Quase todo lançamento do Guided By Voices me impressiona. Provavelmente, a nova canção ou disco seguirá na mesma linha dos anteriores, mas a empolgação de Robert Pollard, que mantém o grupo vivo depois de várias décadas, é contagiante. Sem falar na sua (aparente) interminável criatividade, afinal, não é todo artista que chega a lançar até 3 discos por ano (ou  mais!).

‘My Future In Barcelona” é o novo single de “Zeppelin Over China”, disco que chega às lojas em primeiro de fevereiro do ano que vem. A sonoridade segue o padrão da banda: um rock’n’roll de baixa produção, com bastante guitarra ao fundo e um quê pop marcante.

Vale lembrar que o conjunto acabou de lançar dois EP’s na última semana, que adiantam um disco posterior ao que acabo de falar sobre. “Warp and Woof” ganhará vida em abril de 2019. Leia aqui um curioso fato sobre esse lançamento.

O single título desse texto você confere abaixo, via Youtube ou Bandcamp, qual o leitor preferir. Sobre os dois EP’s, escreverei sobre eles logo.

Direto do Forno · Música

Electric Octopus – Pipe Dream Train

A princípio, pensei que fosse um EP, até olhar a duração das músicas. “Pipe Dream Train” começa com “Kachina”, com quase dezoito minutos de duração, e encerra com “Rising Vibrations”, com trinta e dois.

Sim, duas músicas apenas e um disco com quase uma hora de pura viagem. Aliás, assim eu definiria esse disco: pura viagem.

Ora distorcido, com uma pitada de funky e cheio de wah-wah, ora mais limpo e bluesy, alternando em picos mais velozes e outros mais relaxantes, é um disco para ouvir com atenção, concentrado em todos os seus elementos.

“Pipe Dream Train” foi lançado na última quinta-feira, dia 13.