Garimpo · Música

Garimpo: No Idea

Procure no Youtube pelo canal “Vinyl Collector” e surpreenda-se. Dois garotos aparentemente na casa dos 15 anos tocando NA ÍNTEGRA discos como “In Utero” (1993) e “Nevermind” (1991), clássicos absolutos dos anos noventa. Em postagens mais recentes, eles até contam com a participação de um baixista, mas quem toca o projeto mesmo são os dois. Seus nomes são Carl Giannelli e Ethan Williams, e a banda chama-se No Idea.

Se falarmos em lançamentos OFICIAIS, até o momento em que vos escrevo, são apenas dois EP’s, mas o suficiente para apresentar a versatilidade deles.

O primeiro é intitulado “Your Peril”, e deu o ar das graças em 8 de julho de 2017. Apresentado pela própria banda como “ideal para fãs do Queens of the Stone Age/Kyuss, Electric Wizard, Sleep…”, é justamente esse tipo de som que você encontrará. Das quatro canções, três são instrumentais, mas todo o EP é recheado de riffs pesados e uma bateria monstruosa. Ambos os integrantes revezam nos instrumentos, ou seja, Carl e Ethan são multi-instrumentistas, o que garante mais um ponto para eles.

Em “Fungus”, o segundo EP lançado seis meses após seu antecessor, o trabalho é melhor resolvido. Carl Giannelli executa as cordas e canta, e Ethan Williams é o responsável pela bateria.

Também com apenas quatro canções, a sonoridade é muito diferente de “Your Peril”. Agora, temos guitarras menos pesadas, porém, com distorções mais sujas, remetendo às bandas da era de ouro do grunge . Além disso, todas as músicas possuem letras, sendo esse o ponto em que eles ainda podem desenvolver melhor. A julgar pelos vídeos do canal deles no Youtube, a influência do Nirvana e do Green Day (lá dos primórdios) é nítida.

Ver uma banda como o No Idea surgindo, tomando forma e aumentando, mesmo que aos poucos, seu reconhecimento é gratificante. Por serem ainda jovens, o talento deles só tende a ser desenvolvido, e espero ouvir um disco cheio em breve. Em resumo, são dois caras se divertindo fazendo música, buscando uma identidade própria e construindo sua base de admiradores.

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – The Rally Boys (Single)

Chego a soar repetitivo, mas a fórmula do novo single do Guided By Voices é a mesma. A canção mal começa e as guitarras já estão correndo, com Pollard soltando os seus versos com a voz enérgica, apesar de já mostrar o seu envelhecimento. A duração segue o padrão: menos de dois minutos.

Quando o ouvinte pensa que virá uma segunda parte, uma estrofe a mais ou até um solo, ela é encerrada. Assim, direto ao ponto, é “The Rally Boys”, mais um anúncio de “Zeppelin Over China”, o disco completo que chega no início de fevereiro.

Direto do Forno · Música

O novo do Reverend Horton Heat: Whole New Life

Com formação nova e uma visão de mundo mais otimista (palavras do líder da banda à Billboard), “Whole New Life” chega ao mundo para aqueles que curtem um rock’n’roll descompromissado e ideal para se mexer. É difícil acompanhar o disco e não balançar o corpo por alguns segundos, no mínimo. São 11 faixas inéditas que bebem diretamente do rockabilly e do blues, com um pouco de punk rock.

A adição de um pianista trouxe certo dinamismo ao conjunto, tornando o disco mais versátil e menos enjoativo. A alternância de guitarras e piano tomando a frente de algumas canções mostram o quão criativo foi a produção do trabalho.

Um único momento de “Whole New Life” chama a atenção pelo teor mais emocional: “Don’t Let Go of Me”, digamos, poderia ser considerada a balada do disco. No mais, é uma enxurrada sonora sem tirar o pé do acelerador. Nesse tempo, os dois singles anteriores, “Hog Tyin’ Woman” e a faixa-título, e canções como “Wonky”, “Got It In My Pocket” e “Sunrise Through The Power Lines” fazem valer a audição da obra.

 

1. Whole New Life
2. Hog Tyin’ Woman
3. Hate To See You Cry
4. Got It In My Pocket
5. Don’t Let Go Of Me
6. Ride Before The Fall
7. Tchoupitoulas Street
8. Sunrise Through The Power Lines
9. Wonky
10. Perfect
11. Viva Las Vegas

Direto do Forno · Garimpo · Música

Garimpo: The Spinanes – Manos (Relançamento)

O duo The Spinanes pode até não ter estourado durante seus anos de atividade, mas ganhou um status cult que mantém viva a sua memória. Formado pela vocalista e guitarrista Rebecca Gates e pelo baterista Scott Plouf, lançou três discos pela Sub Pop nos anos noventa e só. Um deles, “Manos”, foi lançado em 1993 e até fez certo barulho nas rádios americanas e na MTV, mas nada gigante se compararmos com outras bandas da época. 25 anos depois, a Merge Records relançou o disco, remasterizado e com algumas faixas bônus.

O extingo blog Amor Louco Br (falo sobre ele aqui) também foi o responsável por me apresentar a banda, justamente com o “Manos”. Curti na primeira audição. Uma produção simples e garageira, com muita emoção por trás. É a música em seu estado mais natural. “Spitfire” e “Shellburn”, ambas com linhas de bateria muito interessantes, são as minhas favoritas até hoje. Ouça-o na íntegra abaixo.

Uma curiosidade: você pode ouvir os backing vocals de Rebecca Gates na canção “St. Ides Heaven”, de Elliott Smith.

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – My Future In Barcelona (Single)

Quase todo lançamento do Guided By Voices me impressiona. Provavelmente, a nova canção ou disco seguirá na mesma linha dos anteriores, mas a empolgação de Robert Pollard, que mantém o grupo vivo depois de várias décadas, é contagiante. Sem falar na sua (aparente) interminável criatividade, afinal, não é todo artista que chega a lançar até 3 discos por ano (ou  mais!).

‘My Future In Barcelona” é o novo single de “Zeppelin Over China”, disco que chega às lojas em primeiro de fevereiro do ano que vem. A sonoridade segue o padrão da banda: um rock’n’roll de baixa produção, com bastante guitarra ao fundo e um quê pop marcante.

Vale lembrar que o conjunto acabou de lançar dois EP’s na última semana, que adiantam um disco posterior ao que acabo de falar sobre. “Warp and Woof” ganhará vida em abril de 2019. Leia aqui um curioso fato sobre esse lançamento.

O single título desse texto você confere abaixo, via Youtube ou Bandcamp, qual o leitor preferir. Sobre os dois EP’s, escreverei sobre eles logo.

Direto do Forno · Música

Criminal Hygiene – Hardly News (Single)

Já se passaram quatro anos desde o último registro do Criminal Hygiene, o EP “Withdrawn”. Se considerarmos um disco cheio, acrescente um ano nesse período, já que “CRMNL HYGNE” chegou às lojas em 2013. Porém, em março de 2019 termina essa lacuna de lançamentos do conjunto.

“Run It Again” será o nome do novo disco do grupo e sairá pela Dangerbird Records. O single “Hardly News” é o primeiro aperitivo antes do lançamento do álbum completo.

A banda norte-americana pratica uma mescla de rock ‘n’ roll com pop punk, fazendo um som muito divertido de se ouvir. O single em questão traz uma certa áurea noventista, que remete, em alguns trechos, o Green Day nos seus primórdios.

 

Direto do Forno · Música

+2 do Green River

Considerada por muitos como a primeira banda “grunge” (odeio esse termo) antes mesmo deste tornar-se um “movimento”, o Green River durou pouco, mas o suficiente para garantir o respeito merecido. Além, claro, de ter sido o embrião de duas bandas fundamentas da cena de Seattle: o Pearl Jam e o Mudhoney.

Para janeiro do ano que se aproxima, a Sub Pop preparou um material de considerável agrado tanto para os saudosistas, quanto para quem deseja conhecer melhor o som que se fazia no final dos anos 80/início dos anos 90.

“Dry As A Bone”, o segundo EP lançado pelo grupo em 1987, e “Rehab Doll”, único disco cheio que os caras soltaram em 1988, ganharão versões de luxo com material inédito, resgatando a história desse grupo que deu início ao último grande momento do rock ‘n’ roll na história da música.

A Sub Pop disponibilizou até o momento apenas duas canções (oficialmente falando): as já conhecidas pelos fãs “Forever Means” e “This Town”, que apresentam bem o que pode-se esperar desse material que vai chegar: muita sujeira e muito barulho.