Direto do Forno · Música

black midi – John L (Single)

Foi por acaso que conheci o black midi há poucos dias, pelo Instagram da Balaclava Records. Gostei do anúncio empolgado deles a respeito do novo disco do conjunto inglês, intitulado Cavalcade e previsto para o dia 28 de maio desse ano, via Rough Trade Records.

Descobri que a banda é queridinha da crítica musical (argh!) e que o debut deles, Schlagenheim, foi um dos selecionados a receber o Mercury Prize de 2019. Ouvi esse álbum durante uma caminhada e o som deles é mesmo muito bom. Gosto dessa barulheira experimental, onde cada momento do disco parece ter sido calculado da forma mais precisa.

Voltando ao Cavalcade, a faixa de abertura, “John L”, foi a escolhida para sua divulgação, acompanhada por um videoclipe, no mínimo, curioso.

Direto do Forno · Garimpo · Música

Garimpo: Gary Lee Conner

Apesar de não ter estourado como várias outras bandas nos anos noventa, o Screaming Trees goza de certo prestígio entre os amantes da música. Pesquisando em fóruns e áreas de comentários, há quem diga que os caras estavam entre as melhores bandas da época. Eu concordo.

Só que boa parte da “fama” deles vai somente para Mark Lanegan e sua voz inconfundível. Porém, ao ouvir os trabalhos solo do “desconhecido” ex-guitarrista e letrista da banda, Gary Lee Conner, fica nítido, ao menos para mim, que ele era a principal força criativa por trás do som do conjunto.

Somente em 2020, Gary Lee Conner lançou dois discos: Revelations In Fuzz e The Opposite of Christimas. Além disso, ele posta vídeos gravados em seu quarto altamente psicodélico, tocando canções de quase todos os discos do Screaming Trees.

E psicodelia é a palavra-chave para definir o som do cara, afinal, suas maiores referências são o rock’n’roll movido a ácido lá dos anos sessenta. Mas o mais interessante é que as canções, de certa forma, lembram sua antiga banda. Se colocasse o Mark Lanegan para cantar suas músicas solo, daria para soltá-las como Screaming Trees e dificilmente alguém notaria a diferença.

Tire a prova por si mesmo e deixe-se adentrar nesse universo viajante.

Direto do Forno · Música

It It Anita – Ghost/Cucaracha (Singles)

Admito que o nome desse conjunto belga chamou bastante minha atenção, só não esperava que eu fosse curtir tanto o som deles. It It Anita é um quarteto de noise rock presente no catálogo da Luik Records (ela nunca erra) e está com um álbum no forno, intitulado Sauvé, previsto para sair no início de abril. Esse será o quinto disco dos caras pelo selo.

Dois singles já estão disponíveis: “Ghost” e “Cucaracha”, sendo que o primeiro ganhou minha atenção com apenas segundos de execução. Lembrou o Jesus Lizard, graças ao baixo se destacando pelo peso, como deve ser. “Cucaracha” é mais punk, veloz, mas não menos interessante.

Confira abaixo os videoclipes das duas canções.

Direto do Forno · Música

Tomahawk – Dog Eat Dog (Single)

Se o fãs do Tomahawk estavam ansiosos para a chegada do novo disco, “Dog Eat Dog” deve ter elevado esse sentimento às alturas. O segundo single de Tonic Immobility remete aos melhores momentos do conjunto que, na minha opinião, vêm do primeiro disco.

Mike Patton continua incrível nos vocais, brincando com seus gritos e sussurros, enquanto a banda parece só ter melhorado com o tempo. Destaco John Stanier, um monstro da bateria, que só falta quebrar suas caixas com tanto impacto.

Aguardemos o novo disco e tomara que mantenha o mesmo nível dos dois singles já lançados.

Direto do Forno · Música

Joe Strummer – Junco Partner (Acústico)

No meu conhecimento, a maior parte dos lançamentos póstumos de artistas são verdadeiros caça-níqueis. Porém, a última box de extras de Joe Strummer, Joe Strummer 001 (2018), até que foi proveitosa, e por esse motivo ficarei ligado em Assembly, a nova compilação de trabalhos solo do frontman do The Clash.

Tal álbum chegará em algumas semanas, no dia 26 de março, e já podemos conferir uma das suas fatias: trata-se de uma gravação caseira de “Junco Partner”. Oficialmente, ela faz parte do álbum-triplo Sandinista!, de 1980, mas essa versão nunca havia sido lançada antes.

Ouvir esse cara apenas em voz e violão é sempre um prazer.

Direto do Forno · Música

Dinosaur Jr. – I Ran Away (Single)

Parece que os “vovôs” J. Mascis, Lou Barlow e Murph, a tríade clássica do Dinosaur Jr., ainda têm muitas ideias para queimar e transformar em música. Vem aí Sweep It Into Space, o décimo-segundo álbum de estúdio da banda, que ganhará forma em 23 de abril desse ano, via Jagjaguwar.

São mais de trinta anos de carreira mantendo a mesma fórmula, e ainda assim o Dinosaur Jr. não fica chato ou enjoativo. O single “I Ran Away” está aí como prova. Uma divertida canção pop, onde os instrumentos estão todos alinhados e sem excessos, e ao final J. Mascis manda um solo um pouco mais barulhento, mas nada explosivo como os anos áureos da banda.

Chega a ser repetitivo, mas como é bom ver bandas assim ainda na ativa, criando músicas novas por amor.

Direto do Forno · Música

Novidades na Heavy Psych Sounds Records

As produções musicais no mundo subterrâneo continuam a todo vapor, principalmente no universo do stoner rock, uma das vertentes mais frutíferas nos últimos anos. No selo Heavy Psych Sounds Records não poderia ser diferente, e é de lá que trago algumas novidades hoje. Ao todo, são três singles de bandas que é aumentar o volume e deixar o caos tomar conta do ambiente.

Começando por “Free The Weed”, canção que entrará em Weedsconsin, o próximo disco do Bongzilla e que chegará DEZESSEIS anos após o último lançamento do conjunto. A previsão é para o dia 20 de abril, e se a expectativa se concretizar, vem algo ideal para fãs de stoner/doom metal. Afinal, “Free The Weed” já começa com a guitarra lá em cima e o vocalista praticamente rasga os seus versos com muita ferocidade.

Outra banda com disco quase saindo do forno é a Cosmic Reaper, com seu debut auto-intitulado previsto para o dia 19 desse mês. Só pela capa eles já me ganharam, parecendo um pôster de filme de terror B. Mas o som deles também é de alto nível, “Wasteland II” surpreende com riffs poderosos, a voz ecoando como se saísse de um megafone e o baixo também se fazendo presente. Ou seja, tudo muito bem afiado e espero que o disco inteiro esteja à altura.

Por último, a que mais gostei: “The Chosen One”, single do próximo álbum do 1782, chamado From The Graveyard. O tipo de som lento e pesado direto da escola Black Sabbath. Sem firulas ou passagens longas, a música é crua e certeira, mantendo a mesma pegada do início ao fim. From The Graveyard também sai esse mês, lá no dia 26.

A Heavy Psych Sounds Records está com vários outros lançamentos, alguns que já saíram e outros para as próximas semanas, mas é pouco tempo na correria do dia-a-dia e muita música para ouvir. Porém, tentarei aproveitar o máximo nos próximos dias, pois sei que o que sai do forno deles é de qualidade.

Direto do Forno · Música

O Novo da Anfisa Letyago: Listen EP

Foi ouvindo um episódio do podcast Álvaro, Barcinski, Forata & Paulão que conheci a Anfisa Letyago, DJ russa radicada em Nápoles, Itália. Na ocasião, tive acesso à canção “Pump It”, e essa não foi apenas minha melhor descoberta musical de 2020, como também a música que mais ouvi ano passado.

Anfisa Letyago é amplamente citada como uma das maiores revelações da música eletrônica dos últimos anos, e no início de 2021 ela aumentou sua (ainda) pequena discografia com o EP Listen. Apesar de curto, esse trabalho deixa bem claro o estilo das composições da DJ, que é capaz de criar peças contagiantes e, em contrapartida, outras mais amenas.

A faixa-título dá início ao EP, acompanhada por batidas e graves fortes e por uma voz sussurrada ao fundo, como um transe hipnótico ou até mesmo um sonho. Aliás, essa “voz” é um dos detalhes que mais me agradaram no som da DJ. Em seguida, vem “Orizzonte”. Essa me lembrou os melhores momentos do Prodigy, não pelo peso, mas pelo ritmo, onde vários elementos se fundem e o resultado é uma canção perfeita para um clube noturno.

Em “Deep Water”, a tal voz parece estar realmente afundada em águas profundas, enquanto o instrumental faz o corpo do ouvinte se tremer não apenas por fora, mas também por dentro. E não fosse o bastante, o encerramento com “Gravity” causa a mesma sensação, mas dessa vez não na água, mas no ar, como se o corpo flutuasse, carregado pelas batidas minimalistas da canção.

Listen resume bem, em quatro faixas, as influências e características da Anfisa Letyago, e para quem acaba de conhecê-la, é uma boa porta de entrada para seu universo eletrônico. Ele foi lançado em 8 de janeiro deste ano e foi o primeiro lançamento em seu próprio selo, o N:S:DA.

1. Listen
2. Orizzonte
3. Deep Water
4. Gravity

Direto do Forno · Música

Tomahawk – Business Casual (Single)

“Ah, tá de sacanagem!”

Essa foi minha reação quando descobri que o Tomahawk está de volta, já com um single e com a data do novo álbum anunciada. Tonic Immobility chegará em 26 de março pela Ipecac Recordings.

“Business Casual” possui uma linha de baixo maravilhosa, e claro, uma bateria esmagadora, como é de praxe quando se escuta o John Stanier em ação. A voz de Patton então nem precisa de comentários. É incrível como ele só melhora a cada ano que passa.

O Tomahawk é o projeto paralelo do Mike Patton que mais gosto. Mas é injusto chamá-lo de “projeto paralelo”, pois a banda já possui quatro discos de estúdio, sendo que o último, Oddfellows, foi lançado em 2013. Inclusive, tive a honra de vê-los ao vivo nesse mesmo ano, quando vieram no Lollapalooza.

Ano passado foi o Mr. Bungle que voltou às atividades e agora o Tomahawk. Espero que o Fântomas seja o próximo da fila.

Direto do Forno · Música

Cub Scout Bowling Pins – Heaven Beats Iowa (Single)

Duvido que exista alguém tão prolífico em questões artísticas quando Robert Pollard. Não bastasse os vários discos que ele lançou com o Guided By Voices em 2020, o cara também já anunciou mais um projeto paralelo e também soltou o primeiro single dessa empreitada: conheça o Cub Scout Bowling Pins com a canção “Heaven Beats Iowa”, que também levará o nome do primeiro EP do projeto.

Soa como Guided By Voices? Soa. É algo inovador? Não. Mas não importa, é muito bom ver esse camarada na ativa após décadas de carreira e ainda parecendo uma fábrica de canções.

O Cub Scout Bowling Pins lançará seu primeiro EP em 22 de janeiro desse ano.