Direto do Forno · Música

Swervedriver – Mary Winter (Single)

Um dos maiores expoentes do shoegaze nos anos 90, o Swervedriver está com novo disco chegando, o segundo após um hiato que durou quinze anos.

Para anunciá-lo, a banda lançou o single “Mary Winter”, com raízes fortes na sonoridade mais clássica do estilo, cheio de camadas de guitarra ao fundo e a voz quase sussurrada. O vídeo em si é uma bela viagem, tal qual a canção. Abaixo você pode conferir a capa de “Future Ruins”, bem como ouvir o single.

A Dangerbird Records prepara o novo álbum para o dia 25 de janeiro do próximo ano.

Direto do Forno · Música

Tess Parks & Anton Newcombe – French Monday Afternoon (Vídeo)

Um pessoal reunido num quarto com bastante bebida, cigarros, cabelos bagunçados, pandeiros, velas e um clima bem picante. Assim é o vídeo de “French Monday Afternoon”, canção presente no segundo disco que Tess Parks e Anton Newcombe lançaram em conjunto.

Rodado inteiro em preto e branco e dirigido pela própria artista canadense junto com o fotógrafo Ruari Meehan, a película é a terceira parceria entre os dois só nesse álbum, já que ambos também assinaram a direção dos vídeos de “Right On” e “Please Never Die” (veja-os aqui). Sobre o vídeo em questão, é um retrato fiel da viagem sonora provocada pela obra de dois grandes artistas da cena psicodélica atual.

A colaboração entre Tess Parks e Anton Newcombe rendeu, até o momento, o melhor disco de 2018. Escrevi sobre ele aqui.

Garimpo · Música

Garimpo: 2 Covers do Radiohead por John Frusciante

John Frusciante sofre de um sério problema chamado fãs xiitas. Sim, aqueles que endeusam seus artistas preferidos, tratam tudo que eles fazem como algo genial, acima da média e que jamais aceitam críticas sobre o endeusado.

Desconsiderando isso, é inegável que o cara é talentoso e possui uma discografia solo muito rica, principalmente os discos “To Record Only Water For Ten Days” (2001) e “Shadows Collide With People” (2004), que trazem o ex-guitarrista dos Chili Peppers em uma fase menos experimental, com canções mais fáceis de serem digeridas pelo grande público.

Creio que seja do período entre esses dois discos os dois vídeos abaixo. Munido apenas por um violão, impressiona a emoção que Frusciante insere nas suas versões de “Lucky” e “You And Whose Army?”, duas das melhores canções presentes na extensa discografia do Radiohead.

Experimente e tente não se emocionar.

Direto do Forno · Música

+2 do Green River

Considerada por muitos como a primeira banda “grunge” (odeio esse termo) antes mesmo deste tornar-se um “movimento”, o Green River durou pouco, mas o suficiente para garantir o respeito merecido. Além, claro, de ter sido o embrião de duas bandas fundamentas da cena de Seattle: o Pearl Jam e o Mudhoney.

Para janeiro do ano que se aproxima, a Sub Pop preparou um material de considerável agrado tanto para os saudosistas, quanto para quem deseja conhecer melhor o som que se fazia no final dos anos 80/início dos anos 90.

“Dry As A Bone”, o segundo EP lançado pelo grupo em 1987, e “Rehab Doll”, único disco cheio que os caras soltaram em 1988, ganharão versões de luxo com material inédito, resgatando a história desse grupo que deu início ao último grande momento do rock ‘n’ roll na história da música.

A Sub Pop disponibilizou até o momento apenas duas canções (oficialmente falando): as já conhecidas pelos fãs “Forever Means” e “This Town”, que apresentam bem o que pode-se esperar desse material que vai chegar: muita sujeira e muito barulho.

Direto do Forno · Música

The Smashing Pumpkins – Untitled (Vídeo)

O primeiro CD dos Smashing Pumpkins que comprei foi o “Rotten Apples”, de 2001, que nada mais é do que um greatest hits que engloba todas as fases da banda até então.

“Untitled” é a única faixa inédita desse lançamento e foi a última gravada pela banda até o seu primeiro fim, lá no início dos anos 2000. Agora, quase duas décadas depois, a banda (já reformulada) libera um videoclipe para a canção, um epitáfio da fase áurea de Billy Corgan e companhia.

O vídeo nada mais é do que trechos e cortes da banda se apresentando ao vivo, bastidores de viagens e Billy gravando os vocais da faixa. O que pode ser um deleite para os fãs mais antigos são as imagens da antiga baixista, D’arcy Wretzky, que nunca mais retornou à banda.

A poucos dias do lançamento do novo disco, fica a aposta na nostalgia para atrair seus fãs.

Direto do Forno · Música

Rival Sons – Back In The Woods

Graças ao grande Gastão Moreira, no seu canal Kazagastão, conheci o Rival Sons, e por coincidência, os caras tão com trabalho novo chegando por aí.

“Back In The Woods” traz o melhor do hard rock setentista, com um punhado de distorção, uma bateria fumegante e backing vocals que lembram os Rolling Stones e os Black Crowes. Porém, o ponto forte mesmo da canção é o vocalista Jay Buchanan, que a conduz com um vocal poderoso e rasgado.

O vídeo é bem psicodélico e navega por uma única figura, um cachorro deitado em um jardim no meio de vários pássaros, focando no que acontece em cada canto da imagem.

“Feral Roots” será o nome do disco, com lançamento para 25 de janeiro pela Low Country Sound/Atlantic Records.

Pesado!

 

 

 

Direto do Forno · Música

Guided By Voices – Cohesive Scoops

Imagino que Robert Pollard deva ser o mais incansável cantor e compositor que já pisou nesse planeta. Seja com o Guided By Voices, seu principal trabalho, seja com os trabalhos paralelos, o cara não para nunca. Todo ano recebemos uma enxurrada de lançamentos de sua autoria.

“Cohesive Scoops”, o single mais recente, tem uma história interessante: estará presente no vinil de sete polegadas “100 Dougs”, com lançamento para dezembro desse ano, e no disco “Warp And Woof”, que chegará às lojas em abril de 2019.

O curioso nesse meio é que a banda já havia anunciado um disco duplo para fevereiro do ano que vem, intitulado “Zeppelin Over China”, e Pollard gravou por completo “Warp And Woof” durante as pausas das gravações. No total (considerando somente o “disco paralelo”), serão 24 canções que duram pouco mais do que 37 minutos. Acho que só Omar Rodriguez-Lopez conseguiria tal façanha.

Sobre a canção em destaque, um pop lo-fi perfeito que dura 91 segundos. Rápido e certeiro, como já ouvimos há duas décadas nos clássicos “Bee Thousand” (1994) e “Alien Lanes” (1995).

Robert Pollard merecia uma estátua pela sua contribuição à arte.

Garimpo · Música

Garimpo: Idaho – Bayonet EP

A história do Idaho é um caso onde a banda não é obscura somente em sua existência, mas também em sua sonoridade.

É considerada uma das precursoras do chamado slowcore, estilo que tem como base letras com cunho bastante pessoal e emotivo, uma levada lenta, sombria, quase claustrofóbica e que remete a certo desânimo, dando um tom bem triste para as canções.

Liderada por Jeff Martin, foi bem ativa nos anos noventa, com vários discos e EP’S lançados. Na virada do século, sua produção deu uma diminuída, porém, continua na ativa, fazendo shows e novos trabalhos.

Um de seus álbuns mais conhecidos é o EP “Bayonet”, apresentado ao público em 1995. Possui somente quatro faixas e é de uma carga emocional muito pesada, como a maior parte da discografia do Idaho.

Destaco a canção “Sliding Past”, uma das melhores da banda.

Direto do Forno · Música

O novo do Will Oldham: Songs of Love and Horror

A melancolia é o carro-chefe de “Songs of Love and Horror”, disco em que o cantor e compositor Will Oldham deixa de lado seu alter-ego Bonnie ‘Prince’ Billy e assina como si mesmo as doze belas e delicadas canções.

Conduzido por completo por apenas voz e violão, “Songs of Love and Horror” é uma visita do artista por canções de sua discografia, seja como Bonnie ‘Prince Billy’ ou Palace Music, adotando uma estética mais intimista e caseira. Em alguns momentos, a carga emocional é tão forte que incomoda, no bom sentido, o ouvinte, mostrando o quão pesados são os versos presentes no disco, bem como a voz de Oldham.

Assumir um trabalho assim sem um personagem por trás é um ato de coragem por parte do cantor, e uma forma de expurgar as suas emoções como um vento forte varrendo as impurezas de seu interior.

Ótimo para ouvir com um vinho ao lado.

1. I See a Darkness
2. Ohio River Boat Song
3. So Far and Here We Are
4. The Way
5. Wai
6. The Glory Goes
7. Only Someone Running
8. Big Friday
9. Most People
10. Strange Affair
11. New Partner
12. Party with Marty (Abstract Blues)